Home > Saúde > USO DE BRAÇADEIRA DURANTE O VOO

USO DE BRAÇADEIRA DURANTE O VOO

Quimioterapia e beleza
Dra Fabiola La Torre – de médica à paciente dividiu com a gente uma dica muito importante, o uso da braçadeira durante os voos.

“Eu quero dividir com vocês um caso que atendi hoje no consultório e que é típico do período de férias…

Uma paciente operada há 6 anos e que esvaziou a axila, apresenta um linfedema grau 1, ou seja, a circunferência do braço do lado operado era cerca de 3cm maior que o contralateral (diferença pequena e estável há cerca de dois anos). Ela vai ao consultório 1 ou 2 vezes por semana para realizarmos a drenagem linfática.

Em dezembro passado, ela foi com a família para o Canadá e apesar de eu te-la alertado para a importância do uso da braçadeira em voos com 3 horas ou mais de duração, ela acabou se esquecendo… Resumindo: a circunferência está com o dobro da diferença! 😁
Estamos correndo atrás do prejuízo!!!!

Então vamos lá!! No último consenso ficou definido:
– pacientes que esvaziaram a axila e apresentam qualquer diferença de volume entre os braços devem usar a Bracadeira para voos com 3 ou mais horas de duração;
– pacientes que esvaziaram a axila e não apresentam aumento no volume do braço devem usar a Bracadeira nos primeiros 6 meses de pós-operatório ou se estiverem em tratamento (QT ou RT ou HT)
– pacientes que fizeram linfonodo sentinela e apresentam alteração no
Volume do braço devem usar a Bracadeira
– pacientes que fizeram linfonodo sentinela e não apresentam alteração no volume do braço NÃO precisam usar braçadeira a não ser que estejam operadas a menos de 6 meses ou em tratamento.

Vale lembrar que o linfedema é uma disfunção de caráter multifatorial. Além disso, os fatores de risco ainda são controversos, sendo o IMC, até o momento, o único fator incontestável.

Portanto e apesar disso, vale a prevenção!”

👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻
Obrigada pela dica Dra Fabiola

Comentários

comentário

Deixe um comentário