Home > Colunistas > RESSECAMENTO VAGINAL – O QUE EU FAÇO?

RESSECAMENTO VAGINAL – O QUE EU FAÇO?

Durante a quimioterapia, dependo das medicações utilizadas em cada esquema de tratamento, podem ocorrer alterações na produção de vários hormônios do nosso corpo.
Entre estas alterações está a redução súbita da produção de estrógeno pelos ovários.  O estrógeno é o principal “hormônio feminino”, assim, quando sua produção cai, é comum haver alguns sintomas parecidos com os da menopausa, como diminuição da produção dos lubrificantes naturais pela vagina, e atrofia vaginal, ou seja, ocorre uma mudança na textura dos tecidos que compõem a vagina.
Estas alterações deixam a sensação de que a vagina está “seca”.
A atrofia, associada a redução da lubrificação, pode causar dor durante a relação sexual, e isso diminui a libido.
Além do desconforto na relação sexual, o ressecamento vaginal pode causar pequenas feridas no tecido da vagina, aumentando o risco de infecções locais.
Há algumas maneiras de manejar tudo isso. Uma delas é usar lubrificantes e hidratantes locais, que melhoram esta sensação de vagina seca. Mas atenção, estes produtos devem ser produtos ESPECÍFICOS para o uso vaginal, ou seja, não pode usar o hidratante do corpo ou da mão, na região vaginal, tá?
Além de serem produtos específicos, eles precisam ser isentos de hormônios, principalmente para as mulheres que estão em tratamento de câncer de mama ou ovário que são sensíveis a hormônios, e podem crescer nasça presença!
Então, a melhor maneira de cuidar do seu ressecamento vaginal, é conversar com os médicos responsáveis pelo seu tratamento. Eles podem indicar quais os produtos indicados para controlar seus sintomas e evitar infecções.
Caso você queira usar algum produto da sua preferência, leve-o para o seu médico avaliar.
Um abraço,
Dra Regina Chamon
CRM 120.010/SP
Hematologista

Comentários

comentário

Deixe um comentário