Home > as cats > RENATA VITTORATO

Olá Cats ! Faz tempo que não falo sobre câncer, o que passei e o que estou passando …
Meu sonho sempre foi ser mãe! Quando descobri a doença estava entre uma fertilização e outra. Havia alguns anos tentando e nada. Hoje sou grata por não ter um filho pequeno na época ou descoberto as duas coisas ao mesmo tempo.
Tive pouco tempo para fazer o estímulo com hormônios, todos sabem que é uma corrida contra o tempo. Foi cirurgia unilateral esquerda, colocação do Port e coleta dos óvulos para iniciar a quimioterapia. Conseguimos dos 6 óvulos coletados, dois embriões. Em relação à cirurgia , fiquei tranquila e adorei a idéia de “tetas novas”. Fiz a reconstrução na mesma cirurgia, e como já tinha prótese, recoloquei, não perdi os mamilos.

 

Cat Renata Vittorato

Com peruca

Fui diagnosticada com Carcinoma ductal invasivo triplo negativo aos 36 anos, um tumor agressivo e com um protocolo mais agressivo ainda, alopecia total e poderia ter sequelas por alguns anos.
Resolvi sofrer sorrindo e me transformei na pessoa que realmente era, uma metamorfose, um renascimento. Aceitei a doença, enfrentei sem olhar para trás, também só tinha a opção de fazer o que tinha que fazer. Ia parar no meio? Tinha que terminar pelo menos isso na minha vida.

 

Cat Renata Vittorato

De turbante!!

Vivi mil personagens, usei e abusei de perucas, acessórios, lenços, criatividade total . Fiz quatro quimioterapias vermelhas, dezesseis brancas e trinta e três sessões de radioterapia . As vermelhas me deixavam fraquinha, uma hora sem fome, outra acordava no meio da noite sem roupa e atacando a geladeira. Nas brancas me sentia “doidona”, um bichinho andando dentro do meu corpo, tive o efeito cumulativo e na última branca estava com um edema geral, que foi resolvido em quarenta dias. Durante a radioterapia eu quebrei os dedos do pé dentro de casa, já sabia que seria cansativo ao quadrado, pois esse é o efeito dela, cansaço. Não tive queimadura, só ficou vermelho escuro como se tivesse tomado sol todos os dias do ano .
Foram 10 meses de tratamento .

Cat Renata Vittorato

Carequinha

Cat Renata Vittorato

Carequinha

Eu não tinha desistido de ser mãe e comecei a questionar os médicos (ginecologista e oncologista ) quando poderia começar a tentar e algumas vezes tive que brigar para que se valesse o meu desejo. A ginecologista apostava em cinco anos do diagnóstico, a oncologista em três. Acabamos chegando no meio termo, depois de muita discussão, especialistas de fora sendo consultados, então dois anos e dois meses depois estava retirando o Port e começando os exames para iniciar o tratamento para engravidar. Como só tinha dois embriões, tentaríamos estimular os ovários para não desperdiçar . E começou outra dura batalha! Não podia perder tempo, não tive um descanso . Foram oito meses de tratamento exaustivo, todo mês o negativo, ansiedade e decepção. Engordei muito e começamos a ouvir que deveríamos ter um plano B , C, D… Ter um marido para dividir tudo isso foi essencial , foi tudo bem pensado e conversado, lágrimas e medos. Eu poderia não conseguir ser mãe se não fosse pela adoção.
Cheguei a parar de menstruar e dessa vez era o efeito tardio da quimioterapia, não tomei o zoladex, eles foram afetados ao ponto de produzir óvulos que não eram saudáveis . Como não produzir um óvulo com tanto estímulo? Minha ginecologista me receitou Dhea , um precursor de hormônios que a longo prazo poderia fazer reverter essa situação e retomar o tratamento – já que sem menstruar, nem implantar os embriões eu poderia.
Depois de dois meses , três .. Voltei a funcionar , maravilhaaaaaa !!! Obrigada meu Deus !!!

Cat Renata Vittorato

Gravida

Cat Renata Vittorato

Danillo Gabriel

Fiz teste de fertilidade e estava fértil!!! Fiz exames e estava enfim pronta para os embriões. Implantei os dois congelados por três anos final de março desse ano e quinze dias depois estava com o exame positivo para gestação. Foi um misto de medos , novidades e tem sido assim todos os dias. Vivo hoje meu maior sonho, não sei se poderei engravidar de novo, não conto as semanas e sim os dias dessa gestação. A ficha ainda não caiu , mas o que posso dizer é que nenhum momento eu desisti, nem da vida durante a doença, nem do meu filho que hoje carrego… Pensei em desistir? Sim, várias vezes, mas ter uma pessoa que deseja o mesmo que você fez toda a diferença .

Cat Renata Vittorato

Eu, antes do tratamento, com meu marido.

Hoje , 40 anos , sobrevivi ao câncer de mama e gravida de sete meses do Danilo Gabriel . EU ESTOU INDO VIVER , e vocês ?

Comentários

comentário

Deixe um comentário