Home > as cats > RENATA RAHN

09/08/16 – Minha última quimio!
#gratidao

Há 8 meses eu recebia a notícia mais desoladora da minha vida, quando o meu mastologista e anjo da guarda segurou minha mão, olhou firme nos meus olhos e me disse que eu estava com câncer. Câncer? Palavra que já era tão temida e difícil de ser pronunciada desde que levou a pessoa que eu mais amava no mundo.
Imediatamente me veio na mente o rostinho da Laura, na época com 1 ano e 4 meses. Tao dependente de mim. Eu era tudo na vida dela. Era meu nome que ela chamava, era no meu colo que ela se acalmava. Eu não tinha o direito de partir e deixar de ser o tudo na vida dela. Nao agora …!
Então, me recompus e ainda meio zonza saí do consultório. Por dias me vinham a mente as palavras do Dr. Rafael de que havia tratamento e cura. Mas que teria de ter paciência e dar um passo de cada vez, pois seria um tratamento longo e doloroso.

Quando me recuperava da cirurgia, meu marido também foi diagnostico com câncer. No caso dele, de testículo. Foi quando nosso mundo desabou pela segunda vez.
Foi aí que nos demos as mãos e fomos a luta. Iniciamos e terminamos as quimios juntos.
Hoje, passados 8 meses do diagnóstico, não acredito que consegui embora com passos lentos caminhar tanto. E o mais importante, tornar minha caminhada suportável e agradável.
Hoje, prestes a fazer minha última quimioterapia sinto gratidão por cada passo que dei. E por cada mão que me segurou nessa caminhada. Mãos essenciais para que eu continuasse firme no meu objetivo. Mãos que me seguraram quando desmoronei. Mãos que enxugaram lágrimas quando chorei. Se chorei? E como!! Chorei de medo. Chorei de dor. Chorei de solidão. Chorei de decepção. Chorei por me livrar do que me fazia mal, do que apertava meu coração e de tudo que me impedia de sorrir. O riso por sinal acalma a alma. Por isso nunca o abandonei. Me mantive feliz e com fé nessa longa caminhada.
Foi um tratamento muito difícil. Senti enjoos inimagináveis, perdi os cabelos, as sobrancelhas, os cílios e o paladar.  Senti medo das inúmeras agulhadas.  Senti fraqueza  e meu coração se despedaçou por não conseguir pegar a Laurinha no colo. Medo, como eu senti medo! Mas logo Deus me emparava em seu colo e acalmava meu coração. Sou tão grata a Deus. Sou tão grata aos anjos que Ele me enviou!
Sei que a caminhada ainda não terminou. As quimios foram apenas o 2° passo e ainda falta o 3°. Mas hoje já não sou mais aquela que iniciou o tratamento. Me readaptei. Me reinventei. Me modifiquei.
Readaptei minha rotina. Hoje posso ver o nascer do sol… Sair para caminhar de manhãzinha e sentir a brisa no rosto. Posso participar mais da vida da Laurinha e tomar um café da tarde com uma amiga. Reinventei as certezas, meu modo de vestir, de me maquiar e passei a me amar mesmo carequinha. Modifiquei prioridades e sentimentos. Hoje coleciono apenas bons momentos.
Desapeguei das manias, desatei nós e criei laços.
Deixei de lado a agitação e passei a curtir a rotina da paz, do amor próprio, da delicadeza de um livro ou de uma boa companhia.
Parei de viver pra fora e comecei a ser feliz por dentro.

Cat Renata 2 Quimioterapia e Beleza

Cat Renata 6 Quimioterapia e Beleza

Cat Renata 5 Quimioterapia e Beleza

Cat Renata 4 Quimioterapia e Beleza

Cat Renata 3 Quimioterapia e Beleza

Comentários

comentário

Deixe um comentário