Home > as cats > GIOVANNA ANDRADE
Olá Flavia tudo bem?Sou a Giovanna de São Paulo capital tenho 36 anos. Primeiramente quero agradecer a Deus que esteve ao meu lado e é com ele que falo todos os dias, minha nossa senhora de Fátima santa  Teresinha do menino Jesus e Nossa senhora Aparecida, meus filhos, marido, meus país, e irmãos e uma tia querida (Mariliza) e, em especial, a minha mãe, que ficou todos os dias comigo no hospital. Ressalto que o meu marido quando não estava trabalhando, estava ao meu lado do começo ao fim,  além de ter dormido todos os dias ao meu lado no hospital,  sempre fazendo graça para me divertir e para que eu abrisse um sorriso.
Hoje venho aqui para contar a minha história, sempre fui muito reservada, mais depois do fim do tratamento e de receber alta na semana passada, revolvi pela primeira vez me abrir com vc, para ajudar as outras CATS que estão passando por isso. A minha primeira foto careca que eu enviei para alguém é a que você esta recebendo. Sou tímida e não tinha coragem de aparecer assim. Fiz duas perucas, uma com o Carlos do Hair Look (que é colada) e a outra com a Iaff, aquela peruca que é removível a qualquer momento. Em casa eu fico carequinha, mas na rua as pessoas ainda têm preconceito e te olham de forma estranha ou com piedade. Cada vez que vejo um relato na sua página me emociono.
Em Junho de 2015 fui procurar um cirurgião plástico, pois eu queria colocar silicone. Como no meio de julho eu iria esquiar com meus filhos e marido, resolvi que faria a cirurgia no fim das feiras. Com este planejamento, fui fazer os exames pre-operatórios antes da viagem, isso início de julho de 2015. Foi exatamente quando veio a bomba… O raio x do tórax mostrou uma massa de 6,0 cm no pulmão direito, que ninguém sabia o que era. O cirurgião plástico  ligou para meu marido e disse: “vamos ter que remarcar a cirurgia e investigar o que é”. Desde este momento então minha vida virou do avesso.
 Também pudera… Eu não tinha um sintoma, corria 3 x por semana, saudável era muito difícil eu ficar doente. Depois disso, me viraram literalmente do avesso.  Fiz biópsia pela garganta chegando na massa porém em volta dela dava negativo. O médico então pediu a biópsia pela tórax e aí sim saiu o resultado: SARCOMA SINOVIAL PRIMÁRIO DE PULMÃO, um tipo super raro, já que na literatura existem 50 casos relatados. Como você pode imaginar, meu mundo desabou e eu só chorava e tinha medo. Medo de não ver meus filhos crescerem e de tantas outras coisas que passaram pela minha cabeça… Até que aconteceria o pior… Mas com apoio e amor, fui em frente na luta!  O tratamento foi planejado em ciclos de quimio, sendo 5 dias seguidos ou seja 20 sessões. Nos dois primeiros dias eu recebia da branca e vermelha.  Nos outros só a branca. Depois de uma vídeo conferência com o MD Anderson, do Texas, resolveram que seriam 6 ciclos ou seja 30 sessões, além da operação para retirada do lobo médio do pulmão. O medo se instalou em mim. A incerteza do resultado do tratamento começou a me corroer por dentro. Muitas orações e muita fé me fizeram seguir firme e forte! Comecei o tratamento com as quimios, achei que não conseguiria ir até o fim.  O primeiro ciclo foi o pior de todos, mas fiquei firme. Depois do segundo ciclo, refiz o exame e para felicidade de todos o tumor tinha regredido 40%. Então fiz mais dois ciclos e mais um exame. Houve redução de mais 10%. Logo após fiz a cirurgia de retirada do lobo médio do pulmão. Vou te confessar aqui que eu chorava quase todos os dias e a dor era intensa, cada vez que eu respirava o tórax doía, fora o desconforto do dreno. Não me lembro quando cheguei e por quanto tempo fiquei na UTI. Depois de 7 dias tive alta do hospital. Vieram os exames pôs cirurgia, dizendo que o tumor não tinha invadido os linfonodos, e nem parenquima do pulmão. Mesmo assim, os médicos cumpriram o protocolo já previamente estabelecido e eu fiz mais dois sofridos ciclos de quimioterapia. Agora em janeiro fiz outro petscan  e, com a Graça de Deus, tudo deu certo e agora eu sigo em acompanhamento a cada 3 meses. Terei que fazer 5 sessões de radioterapia, mas, para quem fez quimio isso não assusta. Eu me trato com o Dr. Oren Smaletz do Albert Eistein. Todos os profissionais do Einstein, do mais importante ao mais humilde, foram maravilhosos e humanos comigo. A lição que levo disso tudo é que a vida pode MUDAR a qualquer momento. Não somos nada neste mundo e temos que viver intensamente cada segundo, se possível ajudando e dando amor aos outros.  E simplesmente agradecendo a vida que é  maravilhosa. A minha vida jamais será a mesma. A lição que eu aprendi só se recebe vivendo e sofrendo.
Seu trabalho é maravilhoso e conte comigo para o que precisar.
Gostaria muito de poder te ajudar em alguma coisa. Só nós sabemos o que é receber um diagnóstico de câncer, o que passamos e como passamos a dar valor a tudo que nos cerca.
Cheguei à conclusão que o câncer nos tira muitas coisas, mas também nos traz  inúmeras outras, aprendi muita coisa com a doença, conheci muita gente especial, recebi apoio de pessoas que não imaginava, amizades ficaram muito mais fortalecidas, cada mensagem cada telefonema e cada visita estão guardadas dentro do meu coração. Eu sempre fui forte, mas não fazia ideia  o quanto… Para chegar a cura enfrentei uma dura e árdua batalha. Foram 7 meses que eu jamais contestei o por que, apenas abracei o momento e enfrentei. Era vencer ou vencer.

Eu li uma frase que não me esqueço” Nao me venham falar em adversidade. A vida me ensinou que, diante dela, só há três atitudes possíveis: enfrentar, combater e vencer…”

Que Deus te abençoe sempre. ??❤
CAT 2

Comentários

comentário

Deixe um comentário