Home > Bem Estar > EU POSSO…

ESCOLHER UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL

Todas as pessoas podem tomar atitudes para reduzir o risco de câncer ao escolher opções saudáveis, que incluam parar de fumar, manter-se fisicamente ativo e consumir alimentos e bebidas saudáveis. O fumo é a maior causa evitável de câncer no mundo. Parar de fumar tem um grande impacto positivo na saúde de uma pessoa, da sua família e amigos. A boa notícia é que parar de fumar em qualquer idade é benéfico, aumentando a expectativa de vida e melhorando a qualidade de vida. As pessoas também podem reduzir seus riscos de ter diversos tipos de câncer comuns ao manterem um peso saudável e tornarem a atividade física parte de suas rotinas. Estar acima do peso ou obeso aumenta o risco de dez tipos de câncer: câncer de intestino, mama, útero, ovário, pâncreas, esôfago, rim, fígado, próstata avançado e vesícula biliar. Mudanças específicas na dieta também podem fazer a diferença – por exemplo, os indivíduos podem limitar sua ingestão de carne vermelha e evitar a carne processada. O álcool também está fortemente ligado com o risco aumentado de vários tipos de câncer. A redução do consumo de álcool diminui o risco de cânceres de boca, faringe, laringe, esôfago, intestino, fígado e mama. Em geral, mais de um terço dos tipos de câncer mais comuns poderiam ser evitados por uma dieta saudável, prática de atividade física e manutenção de um peso corporal saudável. Reduzir a exposição à radiação ultravioleta (UV) do sol e de outras fontes, como solários, também é importante para reduzir o risco de muitos tipos de câncer de pele . Todas as pessoas podem escolher um estilo de vida saudável para reduzir o risco de câncer.

ASSUMIR O CONTROLE DA MINHA JORNADA COM O CÂNCER

Muitos pacientes com câncer e suas famílias descrevem um sentimento de perda de controle de suas vidas após um diagnóstico de câncer. Incentivar os pacientes a fazerem o que for necessário para ganhar novamente um sentimento de controle e preservar sua dignidade durante a jornada com o câncer pode ajudá-los a gerenciar as mudanças que o câncer traz à sua vida. A assistência centrada nas pessoas exige que todos os pacientes recebam a instrução e o apoio necessário para tomarem decisões e participarem de seus próprios cuidados ao longo de toda a jornada com o câncer . Profissionais de saúde podem apoiar essa abordagem, dando explicações claras sobre as opções de tratamento disponíveis, incluindo os riscos, os benefícios e as incertezas associados às opções, para garantir que os pacientes e suas famílias sejam participantes ativos das decisões sobre os seus cuidados e que seu plano de tratamento respeite suas necessidades e preferências individuais. Os pacientes com câncer que recebem cuidados paliativos ou de apoio podem ter necessidades específicas para encontrar alívio dos sintomas, da dor e da angústia. O acesso à assistência centrada nas pessoas e que conserva a dignidade, através da qual os pacientes participam das decisões e todas as suas necessidades de assistência são abordadas — em termos físico , emocional, espiritual e social — é essencial para proporcionar cuidados paliativos ou de apoio efetivos. Abordar as questões da imagem corporal também pode ser uma maneira importante de recuperar o controle e preservar um grau de normalidade. O acesso a serviços de apoio dedicados a ajudar a gerir as mudanças físicas que podem ocorrer durante e após o tratamento do câncer, como perda de cabelo ou comprometimento da fala, pode melhorar a confiança e a maneira como os pacientes se veem e sentem-se sobre si mesmos. Mesmo se outros não puderem ver essas mudanças, por exemplo, incontinência urinária, procurar ajuda profissional pode reconstruir a autoestima. As pessoas que vivem com câncer podem assumir o controle de sua jornada com o câncer ao serem capacitadas para participarem ativamente das decisões sobre seu cuidado, tendo suas escolhas respeitadas e suas necessidades satisfeitas.

AMAR E SER AMADO

O câncer afeta todas as pessoas que fazem parte da vida de um paciente de maneiras diferentes. Parceiros, famílias e amigos podem colaborar para trabalhar juntos ao longo dos desafios do câncer e de seu tratamento, de modo que ninguém enfrente a doença sozinho. Não há uma “maneira certa” de um paciente e seu parceiro lidarem com o câncer, mas existem medidas que os casais podem tomar para apoiar um ao outro ao longo desse período desafiador . Por exemplo, manter as linhas de comunicação abertas e ter tempo para falar sobre sentimentos e temas difíceis, como o medo de recorrência ou preocupações financeiras, pode ser útil para lidar com o impacto emocional . Para muitos, uma das maiores consequências duradouras e devastadoras de um diagnóstico de câncer é o impacto sobre a saúde sexual e o bem-estar . Tanto os homens quanto as mulheres podem apresentar mudanças na função sexual e na sexualidade após o tratamento do câncer. As alterações podem estar associadas a efeitos colaterais do tratamento do câncer – às vezes estes são de curto prazo, como fadiga ou dor, ou para outros, pode haver efeitos a longo prazo, como a disfunção erétil devido a alguns tratamentos para câncer de próstata. Buscar informações e assistência através de profissionais de saúde e serviços de apoio a pacientes de câncer pode ajudar os pacientes de câncer a se ajustarem às mudanças na função sexual e auxiliar os casais a renegociarem o sexo e a intimidade . Os amigos e as famílias também podem exercer um papel importante ao oferecer apoio emocional, social e prático. Passar o tempo com uma pessoa, estar disposto a falar sobre suas experiências e oferecer assistência, mesmo com pequenas tarefas, pode ser extremamente útil . Para algumas pessoas, o apoio pode ser necessário ao longo de muitos anos após o diagnóstico inicial, já que continuam a viver com o impacto físico e emocional do câncer, mesmo quando o tratamento é concluído. Para uma pessoa que vive com câncer, o forte apoio emocional e relacionamentos amorosos com os parceiros, os amigos e as famílias podem fazer uma grande diferença em sua vida.

PEDIR APOIO

Manter redes sociais de apoio e falar sobre o câncer podem ser estratégias importantes para se lidar com o impacto social e emocional do câncer, tanto no curto quanto no longo prazo. Isso é verdade para a pessoa que vive com câncer e para seu(s) cuidador(es). O apoio pode vir de muitas fontes – companheiros, amigos, família, colegas, profissionais de saúde e conselheiros – com algumas pessoas optando por participar de grupos de autoajuda ou apoio. Os grupos de apoio podem oferecer um ambiente solidário e acolhedor para as pessoas que vivem com câncer expressarem seus sentimentos e reduzir a ansiedade e o medo. Algumas vezes, os colegas de trabalho formam uma outra rede vital de apoio. Falar com os colegas sobre o câncer, assim como manter contato com eles durante as ausências do trabalho, pode ter um impacto positivo sobre a recuperação. Cuidar de pacientes de câncer também pode ter uma enorme influência sobre a saúde física e mental. Os cuidadores – mais comumente companheiros, familiares ou amigos – recebem pouca preparação, informação ou apoio para realizar sua tarefa vital. Muitos cuidadores colocam suas próprias necessidades e sentimentos de lado para focar na pessoa com câncer e, como consequência, podem experimentar sofrimento emocional e isolamento social. Reconhecer os desafios de cuidar de alguém com câncer e procurar apoio pode trazer uma ampla gama de benefícios para se conseguir lidar com a situação e ter qualidade de vida. As pessoas que vivem com câncer e seus cuidadores podem solicitar apoio para ajudá-los a lidar com o câncer.

FAZER MINHA VOZ SER OUVIDA

As pessoas que vivem com câncer e suas famílias, amigos e cuidadores podem ser defensores poderosos para aqueles que estão lidando com a doença. Ao contar suas histórias, os sobreviventes de câncer podem ajudar outras pessoas a reduzir o medo e o estigma sobre a doença, que frequentemente impedem as pessoas de buscarem cuidados e apoio. Por exemplo, a avaliação do impacto de uma campanha antiestigma no México, centrada em dar aos sobreviventes de câncer uma plataforma para contar suas histórias, mostrou que 76% das pessoas expostas à campanha aprenderam algo novo sobre o câncer e 70% declararam falar mais abertamente sobre o câncer depois da campanha. Os participantes também comentaram que ficaram mais solidários com as pessoas que vivem com câncer por causa do que aprenderam. Os indivíduos também podem participar do diálogo mais amplo sobre a política contra o câncer através do engajamento em campanhas públicas, comunicando-se com os responsáveis pela tomada de decisões e unindo-se a grupos de apoio para assegurar que a voz do paciente seja ouvida. Dessa forma, os pacientes de câncer e suas famílias podem inspirar mudança ao ajudar a definir as questões que importam e ao defender medidas para lidar com essas questões. Os pais, as famílias e os cuidadores de crianças e adolescentes com câncer têm uma função especial a desempenhar na defesa de que seus direitos sejam protegidos, reivindicando o acesso equitativo e acessível ao tratamento de qualidade do câncer, conscientizando os outros sobre os desafios específicos enfrentados por crianças e adolescentes com câncer.

Ao fazerem suas vozes serem ouvidas, os indivíduos podem ser agentes poderosos de influência e mudança para todas as pessoas afetadas pelo câncer. Incentivamos que você faça sua voz ser ouvida e compartilhe sua história em worldcancerday.org/share-your-story

RETORNAR AO TRABALHO

Muitas pessoas que vivem com câncer querem voltar ao trabalho. Elas mencionam motivos financeiros e emocionais para voltar ao trabalho, sendo que o trabalho restaura a normalidade, a estabilidade, o contato social e a renda . Frequentemente, as pessoas que vivem com a doença precisam que seus empregadores façam algumas concessões para apoiá-las a voltar ao trabalho com sucesso. Falar sobre câncer com seus funcionários pode ajudar a garantir que os ajustes necessários sejam realizados para a pessoa que vive com a doença ou para seus cuidadores, como mudanças nas tarefas ou a acomodação de diferentes necessidades físicas, p. ex., ajuste de alterações na mobilidade ou no funcionamento físico, como dificuldade com escadas. Também pode ser possível um retorno gradual ao trabalho, de modo que a pessoa seja apoiada a voltar ao trabalho. Frequentemente, os tipos de alterações necessárias variam ao longo do tempo e conversas continuamente abertas e honestas com um empregador sobre o que é ou não possível em termos de arranjos de trabalho flexíveis e ajustes de trabalho são extremamente importantes para evitar a angústia. Também é importante que as pessoas com câncer que querem retornar ao trabalho entendam seus direitos. Em muitos países, os empregadores têm obrigação legal de fazer ajustes razoáveis no trabalho para pessoas que vivem com câncer e assegurar que elas não fiquem em desvantagem em comparação a outros funcionários.

Com o apoio certo, as pessoas que vivem com câncer podem retornar ao trabalho de maneira bem-sucedida.

Fonte: COMBATE AO CÂNCER (worldcancerday.org)

http://www.combateaocancer.com/wp-content/uploads/2017/01/1.pdf

Comentários

comentário

Deixe um comentário