Home > Saúde > DIA NACIONAL DA MAMOGRAFIA

DIA NACIONAL DA MAMOGRAFIA

SBM alerta às mulheres que “rosa” é o ano todo e a prevenção é fundamental

Para celebrar o Dia Mundial do Câncer (4 de fevereiro) e o Dia Nacional da Mamografia (5 de fevereiro), a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) faz o alerta para que as mulheres fiquem atentas o ano todo quanto à questão da prevenção e diagnóstico precoce. Embora, a entidade reconheça e valorize a importância do Outubro Rosa, ela lembra que o engajamento deve ser constante, pois o câncer de mama segue como a segunda maior causa de morte das mulheres no Brasil e esse quadro está longe de ser revertido.

De acordo com a coordenadora da SBM, Paula Saab, a população brasileira, essencialmente as mulheres, não pode desconsiderar a gravidade do cenário. “Ainda estamos perdendo muitas vidas e isso não pode continuar assim. As mulheres precisam de informação, de acesso e atendimento”, diz a mastologista, lembrando que elas que têm pelo menos 100 vezes mais chances de desenvolver câncer de mama do que os homens.

Segundo Paula, embora pareça um discurso repetitivo, é preciso reforçar a mensagem da realização da mamografia anualmente, a partir dos 40 anos. “A SBM defende essa rotina nessa faixa etária, baseada em estudos. Chega de divergir e discutir o sexo dos anjos. O fato é que estamos perdendo vidas. A realidade é que o quanto antes diagnosticarmos o câncer, maiores são as chances de cura. A mulher tem o direito de se cuidar, de se prevenir e de ter acesso rápido ao tratamento quando necessário. Ela precisa fazer valer esses direitos e, para isso, pode contar com a Sociedade Brasileira de Mastologia”, afirma.

No último Outubro Rosa, a SBM aderiu à campanha “A vida pede atitude. Movimente-se: faça mamografia anualmente” após seus pesquisadores membros concluírem em um estudo que o risco de ter câncer de mama aumenta consideravelmente em mulheres na pré e pós-menopausa que apresentam excesso de gordura corporal. Logo, não só a prática de exercício físico, mas ter uma alimentação saudável pode ajudar a prevenir a doença. Alimentos como cúrcuma (açafrão-da-terra), mirtilo, tomate, abacate, vinho tinto (com moderação), couve, suco de romã, óleo de linhaça, chá verde, alho, brócolis, couve-flor, cereja e alcachofra podem ajudar, lembrando que seu consumo não é garantia do não aparecimento da doença.

Um mastologista deve ser procurado em caso de qualquer alteração na mama, como:

Caroço nos seios

O nódulo pode ter o conteúdo líquido, conhecido como cisto, e geralmente é regular, móvel e não está relacionado a câncer. Nódulos sólidos, endurecidos e fixos geram uma maior preocupação.

Alergia nos mamilos

Traços vermelhos semelhantes à picada de inseto, erupção cutânea ou reação alérgica podem ser um aviso de doença grave e até mesmo câncer de mama.

Pele retraída

Alguns tumores podem crescer dentro da mama e repuxar a pele perto dele. Uma entrada na pele que não existia deve chamar a atenção.

Inchaço e sensação de calor

O inchaço do seio com a sensação de calor e peso pode ser um sinal de câncer de mama, principalmente quando for de um lado só.

Ferida nos seios

Aparição de ferida ou úlcera que não cicatriza.

Mudança na pele ao redor do mamilo

A pele que fica ao redor do peito fica mais quente, escamosa, vermelha ou inchada.

Secreção pelo bico

A aparição de secreção sanguinolenta ou aquosa no bico do seio deve sempre ser investigada.

O autoexame hoje é utilizado como um meio da mulher conhecer seu corpo e identificar o que é normal nas suas mamas. A palpação das mamas pode gerar desconforto em algumas mulheres, mas deve ser feito para que ela se conheça melhor. Qualquer dúvida deve ser tirada com um mastologista.

A junção da mamografia, do exame clínico e do auto exame é fundamental para a prevenção de novas mortes pela doença.

Comentários

comentário

Deixe um comentário