Home > Colunistas > APNÉIA DO SONO E CÂNCER DE MAMA

O sono é importante para o restabelecimento geral do organismo que se desgastou no estado acordado. Para tal, é necessário dormir bem, pois dessa forma as células serão restabelecidas para o organismo desempenhar bem suas funções e o indivíduo desempenhar bem suas atividades diárias. Entretanto, engana-se quem pensa que o ronco é sinal de sono profundo. O barulho do ronco é a dificuldade de entrada do ar,  que por esse motivo,  não permite que o sono seja tranquilo e de qualidade. O indivíduo não percebe, mas passa a noite toda num estado que não descansa o corpo, com um sono  fragmentado, pois roncando não completa bem as fases do sono e no dia seguinte as funções celulares e do organismo não estarão bem restabelecidas. Com o passar dos dias, o acúmulo de falhas neste restabelecimento celular provoca alterações no organismo, proporcionando o aparecimento de várias consequências como cansaço e alteração no sistema imunológico, diminuindo as defesas do organismo.

As pessoas que roncam também tem apnéia do sono. A apnéia do sono é uma parada respiratória que ocorre quando a pessoa está roncando, isto é, o fluxo de ar não alcança os pulmões por alguns segundos, seguidas vezes durante o sono.

Com isso, ocorrem episódios de alterações nas trocas gasosas da respiração, diminuindo o oxigênio no sangue.  Essa alteração é  chamada de hipóxia, que pode ser tóxica pelo estresse oxidativo para as células, favorecendo ainda mais o surgimento de doenças.

 Estudos recentes  têm alertado para a possibilidade de que mulheres que tem apnéia do sono apresentam uma chance maior de terem câncer de mama.
Chang W.P.  e seu grupo de pesquisadores, baseados na ideia  de que o oxigênio diminuído no sangue tem um papel importante no desenvolvimento de tumor, testaram a hipótese de que a apnéia do sono pode aumentar o risco de câncer de mama.  Após concluírem a pesquisa, o grupo encontrou dados que sugerem uma associação entre apnéia do sono e aumento no risco de câncer de mama nas mulheres.
Portanto, a apneia do sono é uma doença  perigosa que  pode provocar  vários fatores que prejudicam a saúde e a qualidade de vida das pessoas. Mulheres com risco de câncer ou que tenham sido tratadas, ou que estejam em tratamento de câncer, devem ficar alertas para o risco de terem apnéia do sono.

Mesmo que outros estudos ainda sejam necessários para confirmar essa pesquisa, é recomendável a atenção para os problemas e qualidade do sono. O ronco e a apnéia do sono geram cansaço, sonolência diurna e desânimo, impedindo as pessoas de desenvolverem bem suas atividades diárias.

As mulheres em tratamento precisam estar dispostas para terem a energia necessária na busca da cura do câncer e os problemas do sono dificultam o restabelecimento da disposição.
Portanto é importante ressaltar que mulheres com câncer ou em tratamento, devem dormir bem, sem ronco para atrapalhar.

Apresentar a sensação logo ao acordar de que não descansou durante o sono, ou que o sono foi insuficiente, também exige atenção.

O Tratamento

Por incrível que possa parecer, próteses ou aparelhos nos dentes feitos especificamente para o paciente com distúrbios do sono, são métodos altamente eficazes para eliminar o problema.

Após uma consulta inicial onde vários aspectos são avaliados, solicita-se um estudo detalhado do sono, o exame do sono, chamado de polissonografia,   cujo responsável é um médico do sono. A partir desse exame, tem-se um diagnóstico para se saber os níveis de ronco , e se existem outros distúrbios do sono presentes, como a própria apnéia ou o bruxismo do sono.

O aparelho oral é confeccionado de acordo com o tipo de arcada dental de cada indivíduo. Existem vários tipos de aparelhos, escolhidos após o exame clínico das condições orais e faciais que incluem um exame odontológico completo. O aparelho oral é eficaz para o ronco e a apneia do sono e o tratamento deve ser realizado por um especialista dentista do sono .

    Prof.Dr. Eduardo Rollo ; CD
Periodontista-Protesista
Dentista do Sono
Dor Orofacial e ATM

Membro Associação Brasileira do sono
www.eduardorollo.com.br

 

Comentários

comentário

Deixe um comentário